Diagnósticos

São avaliações realizadas com a finalidade de identificar em que áreas da gestão empresarial estão os principais problemas da empresa. É com base nos diagnósticos que medidas corretivas ou ações de melhoria são propostas com objetivo de agregar competências na empresa tornando-a mais competitiva no mercado. Os diagnósticos realizados pela HiAto são os seguintes:


As empresas passam por 5 fases ao longo de sua vida, são elas Iniciação, Desenvolvimento, Expansão, Maturidade e Superação/Declinio. Cada fase exige um modelo de gestão e liderança específico, uma vez que os desafios em cada fase são bem diferentes. O DCV é aplicado para identificar em qual destas fases a empresa se encontra.


Para se administrar bem uma empresa é necessário saber, não só em que fase do ciclo de vida ela se encontra, mas como está a sua estrutura de gestão. Cada fase do ciclo de vida demanda um tipo de configuração da estrutura. O DMG avalia o nível de maturidade da gestão em comparação com o que é necessário para o momento atual.


Ao escolher o software de gestão as empresas quase nunca acertam, muitas adotam um sistema caríssimo para utilizar o básico e outras adotam qualquer sistema barato e deixam de ter as informações necessárias à gestão. O DSI avalia o grau de compatibilidade do sistema utilizado pela empresa com as suas necessidades e ainda se a empresa está ou não utilizando todo o potencial do sistema escolhido. O DSI ainda é muito utilizado por empresas que desejam adotar ou trocar seu sistema.


O resultado financeiro é o reflexo da atuação de todas as outras áreas da organização. Por este motivo o DEF além de apresentar índices de saúde econômico-financeira, apresenta também uma análise de causa e efeito que rastreia possíveis causas para os índices que estejam com mau desempenho sugerindo ações corretivas.

Newsletter

Algumas variáveis são comuns a todos os processos produtivos, independentemente do tamanho da empresa ou dos produtos que produzem. Estas variáveis em número de 6 são: Engenharia, PCP, Layout, Tempos, Qualidade, Custos e perdas, Estoques, Manutenção e 5S. O DPP realiza uma análise profunda de cada uma destas variáveis, aponta lacunas onde os recursos humanos, técnicos e financeiros estão se perdendo e propõe soluções.


Sucesso em vendas não está apenas na habilidade do vendedor em argumentar e realizar processos de atendimento, assim como marketing não é só fazer propaganda. Variáveis como Satisfação do cliente, Reputação da marca, Portfólio, Segmentação, Margens, Prazos de venda, Capilaridade, Inadimplência são alguns de muitos indicadores analisados no DMV para identificar oportunidades de ganho e propor medidas de melhoria.


Em grande parte das empresas que quebram, a principal causa está no crescimento desordenado. Sistemas de gestão da qualidade ajudam no processo de descentralização operacional e gerencial e sem eles os problemas crescem exponencialmente e o resultado é que a empresa quebra por falta de gestão. O DSQ avalia processos, índices de performance, padrões, metas e procedimentos, identificando anomalias e propondo ações corretivas.


Apesar de toda a tecnologia o ser humano ainda continua sendo o principal diferencial competitivo das empresas. O DRH avalia a competência das empresas em atrair, desenvolver, manter e recompensar bons profissionais, identifica as práticas de gestão de pessoas exercidas pela empresa comparadas às boas práticas de mercado, identifica problemas e propõe soluções.


Em um mundo tão mutante e tão rápido a empresa que não planeja e não se comunica com eficiência certamente não resiste por muito tempo. A melhor ferramenta de comunicação é o planejamento, algumas empresas, no entanto, não planejam ou realizam um planejamento engessado e ambas as situações são nocivas ao desenvolvimento organizacional. O DPO avalia a competência da empresa em elaborar, executar e revisar seus planos, propondo melhorias no processo.